cuidado

cuidado
Dicas de prevenção contra o coronavírus

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Audiência Pública discute Cultura Popular de Imperatriz

A audiência teve a participação de representantes da cultura local, estadual e nacional
A Câmara Municipal de Vereadores discutiu, nessa quinta-feira (14), a Cultura Popular de Imperatriz, durante uma audiência pública que teve a participação de representantes da cultura local, estadual e nacional. O objetivo principal da audiência foi discutir o Registro dos Mestres da Cultura Tradicional Popular.

O vereador Adonilson Lima (PCdoB), propositor da audiência e autor, destacou a luta do mandado em prol das minorias e pela valorização da cultura. “Temos uma responsabilidade histórica do nosso mandato, que se torna um instrumento dos anseios coletivos e hoje estamos encarnados em todos que fazem a cultura de Imperatriz. Onde se faça e pense cultura, nosso mandato estará lá”.

A poetisa Lilia Diniz, representando a Casa das Artes, iniciou a fala declamando um poema, o qual trazia o seguinte trecho: “de preservar a cultura todos têm obrigação”. Após isso, ela enfatizou que são necessárias políticas públicas eficientes. “Homens e mulheres que durante anos dedicaram horas, suas criatividades para sociedade. Devemos rebater essa frase de que a nossa cidade não tem memória; precisamos reafirmar com políticas públicas a preservação da identidade cultural da nossa cidade. Não adianta tombar prédios, reconhecer o bumba-meu-boi, e os mestres continuarem morrendo à míngua, passando fome”.

Em pronunciamento, o representante do Ministério da Cultura, Reginaldo Freire, ressaltou que a cidade destaca-se ao discutir a valorização dos Mestres e colocou-se a disposição, em nome do órgão, para colaborar com esse processo. “Lutamos para garantir o reconhecimento dos tesouros da cultura, ou seja, das pessoas ou grupos dotados de conhecimentos culturais, os quais são transmitidos socialmente, construindo assim, a cultural maranhense. Portanto, nosso papel aqui é fortalecer esse momento”.

A mestra de cultura, Maria do Amparo, observou que esse reconhecimento vai além de questões financeiras. “A importância do mestre rodeia para uma questão ampla e significativa. É necessário que valorizemos o rendador, o pescador, contador de história e todos os outros que nos trazem conhecimentos. Devemos reconhecer o valor do mestre, mas, atribuir o valor a tradição. É com a aprovação desse projeto que se fortalece a condição para que seja a transmissão de conhecimentos para a nova geração. Não se trata financeiro, mas, do reconhecimento a alguém de que jeito simples e humildade tem transformando o mundo.

A audiência pública foi presidida pela Comissão de Educação, Cultural, Lazer e Turismo, a qual é presidida pelo vereador João Silva. Também fazem parte da comissão os seguintes parlamentares: Caetana Frazão, Carlos Hermes, Fátima Avelino, Richard Wagner , Raimundo Roma e Adonilson Lima.
Projeto - O mandato do vereador Adonilson juntamente com representantes da cultural local elaboram um projeto de lei que dispõe sobre o Registro dos Mestres da Cultura Tradicional Popular, o qual tem como objetivo reconhecer formalmente pessoas ou grupos que tenha conhecimentos ou técnicas necessárias para preservação da cultural tradicional popular de uma comunidade.
Segundo a proposta de lei, devem ser observados alguns critérios para o registro, entre eles: relevância da vida e obra voltadas para cultura tradicional de Imperatriz; reconhecimento público das tradições culturais; permanência na atividade e capacidade de transmissão dos conhecimentos culturais e artísticos e situação de carência econômica e social.

O projeto será encaminhado às comissões competentes da Câmara Municipal de Imperatriz, para apreciação e conseqüentemente votação em plenário. [Paula de Társsia]
Legenda: Registro dos Mestres da Cultura é discutido na Câmara Municipal de Imperatriz

 Assessoria
Att:Assimp


Nenhum comentário:

Postar um comentário