segunda-feira, 30 de novembro de 2015

‘Funcionário’ da Rádio Capital AM é assassinado no transmissor da emissora

Área do transmissor da Rádio Capital, na Rua 04, no Parque 
Timbira, onde o operador foi assassinado
O operador de transmissor e vigia José Orlando Batista, 45 anos, ‘funcionário’ da Rádio Capital AM, de propriedade do senador Roberto Rocha, foi assassinado a tiros no momento em que se encontrava no local de trabalho, no Parque Timbira, na noite de domingo (29).
O crime deve ter sido praticado à noite, sem que alguém tenha ouvido algum disparo, pois o transmissor da emissora fica no meio de um terreno amplo, sem casas nas proximidades. Além disso, é uma área aberta, com facilidade de acesso, pois não tem muro. Quem trabalha no local sempre reclamou da falta de segurança e das condições de trabalho. O assassino fugiu do local sem levar nada da vítima ou das dependências do transmissor.

José Orlando trabalhava havia mais de dez anos como operador e vigia do transmissor da Rádio Capital, mas não tinha vinculo empregatício. Nem mesmo contrato formal de prestação de serviços foi firmado. Essa situação de trabalho, semelhante à escravidão, foi revelada aqui no blog há menos de um mês, quando denunciamos a falta de pagamento aos funcionários da emissora.

Com certeza, a família de José Orlando vai acionar o Ministério Público do Trabalho para fazer com que a emissora do senador Roberto Rocha pague tudo o que deve, com juros e correção.

O outro operador e vigia do transmissor trabalha também em situação de precariedade, sem carteira assinada e sem acesso a outros direitos trabalhistas.

Lastimável que essa situação ocorra em uma emissora de um senador da República. Se ele não cumpre o que está na Legislação Trabalhista, vai defender interesses de quem no Senado?

Fonte: Blog Gilbertolimajornalista 

Nenhum comentário:

Postar um comentário