cuidado

cuidado
Dicas de prevenção contra o coronavírus

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Esposa mata companheiro que era policial militar e depois comete suicídio

Na madrugada desta última quarta-feira (26) um policial militar foi morto pela esposa que em seguida tirou a própria vida na residência do casal localizada na Rua Pedro Ferreira no Bairro José Geraldo da Cruz em Juazeiro do Norte (494 km de Fortaleza). Segundo informações preliminares, a vítima identificada como José Ivan Gonçalves de 40 anos que era policial militar e trabalhava na Penitenciária Industrial e Regional do Cariri (PIRC) teria discutido horas antes de sua morte com sua esposa, Maria Janaina Nonato dos Santos de 30 anos que trabalhava como enfermeira. Ela esperou que seu marido adormecesse, trancou a filha em um quarto e utilizou a arma dele para mata-lo com um tiro na cabeça e em seguida cometeu suicídio atirando contra a sua própria cabeça. Os vizinhos ouviram os disparos, mas somente pela manhã eles foram até a residência do policial e encontraram a criança chorando trancada no quarto. Ainda segundo informações, os dois eram casados há mais de 10 anos, mas estavam se separando, pois Ivan tinha outra mulher e Maria Janaina não aceitava a separação. A mulher premeditou todo o crime porque escreveu uma carta deixando para os familiares (foto). No trecho inicial da carta de despedida ela pediu desculpas pela atitude e encerrou sugerindo a venda do imóvel que pertencia ao casal para cuidarem da filha de 11 anos que ficaria órfã. A polícia informou que a motivação do crime foi porque Ivan tinha um amante, "Quero pedir perdão a todos pelo ato de desespero, mas se eu não podia ficar sem ele, ela também não, perdão [filha] eu te amo muito, mas estou cansada de ser um estorvo, fui uma péssima mãe, esposa e profissional", diz a enfermeira na carta. Policiais que eram amigo da vítima e que atenderam a ocorrência ficaram chocados com a cena que marcou com a destruição de um lar familiar. Foram encontrados também junto com a carta uma quantia de 3.426 reais em espécie e dois aparelhos celulares além do revólver calibre 38 que foi utilizado no crime. Todo o material foi recolhido e entregue à Delegacia Regional de Juazeiro do Norte que irá investigar o caso. Os Corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) e em seguida liberados para os familiares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário